Novos Artistas - Arosa

Vamos inaugurar com pé direito e esquerdo juntos a nossa seção Novos Artistas do Gira Brazil.


Começamos com um super artista que nos mandou seu material e acreditamos demais em seu potencial para grande astro na nossa música brasileira e que sá na mundial.


Falamos do Compositor, produtor e multi-instrumentista brasileiro, Rafael Arosa que produz um som pop sem abrir mão da sofisticação em harmonias, arranjos e melodias.

Admitindo ter um pé no presente e outro no passado, Arosa tem uma forte influência dos estilos synthdisco e AOR/westcoast que eram marcantes no início dos anos 1980.


Em seu álbum de estreia, lançado em 2019 pela THINK!RECORDS JAPÃO nos formatos CD e Vinil, Arosa conta com a participação de experientes músicos cariocas. Uma parceria de destaque foi a participação de Donatinho, que em 2017 lançou o álbum "Sintetizamor" com o pai, João Donato. Donatinho produziu 4 faixas com Arosa e construiu camadas de sintetizadores em várias faixas.




Outra parceria de destaque foi com Pedro Guinu, talentoso tecladista que co-produziu 2 faixas e canta na faixa "Vertigem".


Entre os músicos experientes que participaram da gravação estão André Vasconcellos (Ed Motta, Djavan), Alberto Continentino (Ed Motta, Gilberto Gil), Pedro Mamede (Natiruts), Adam Nitti (Kenny Loggins) e Leo Mucuri (Anitta, Jorge Vercilo).


O álbum foi mixado pelo vencedor do Grammy Latino Fabrício Matos e masterizado no Metropolis Studio London por Stuart Hawkes. A masterização da faixa Stellar Smile foi realizada no Sterling Sound Studio por Chris Gehringer.


Além de músico, Rafael Arosa é professor de geografia e essa atividade se reflete de alguma forma em algumas letras.


As faixas “Vertigem” e “Força Vital”, cada uma a seu modo, abordam as rápidas mudanças em um mundo cada vez mais permeado pelas tecnologias digitais. Em "Toda essa gente", Arosa fala de migrantes e refugiados sofrendo por causa de uma abstração (as fronteiras).


Mas, sem dúvida, a relação com a geografia fica mais evidente nas letras criativas de "Pangea", que propõe uma viagem romântica com referências a vários povos e lugares como os Moai, Tuareg, Maghreb ou Bangcok.


Arosa apresenta originalidade e contemporaneidade nas letras (em português ou inglês, como na faixa "Stellar Smile") e uma clara referência ao som do início dos anos 1980 e que lembra demais o recém terminado duo Daft Punk.


Contatos: arosaproducao@gmail.com


Posts Recentes